Cel/Whats: (66) 9 9687-7993 | (66) 9 9619-3966

E-mail: redacao@mtnews.jor.br | facebook.com/mtnews



Governo MM - Seis empresa serão extintas

09/01/2019

O governador Mauro Mendes (DEM) apresentou nesta quarta-feira (09) para os deputados estaduais um pacote de quatro projetos que serão enviados na quinta (10) para votação na Assembleia Legislativa.

Entre as medidas estão a reforma administrativa do Executivo, que inclui a reforma e extinção de secretarias e a junção do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) 1 e 2.

A reunião com os deputados aconteceu no Palácio Paiaguás, onde houve um almoço. O projeto de reforma administrativa prevê a extinção de seis empresas públicas para cortar gastos e equilibrar as contas.

A proposta propõe a extinção da Empresa Mato-Grossense de Pesquisa e Extensão Rural (Empaer), da Companhia Matogrossense de Mineração (Metamat), da Mato Grosso Desenvolve, Agência Metropolitana (Agem), da Empresa Matogrossense de Tecnologia da Informação (MTI) e da Central de Abastecimento do Estado (Ceasa).

Em entrevista dada na manhã desta quarta-feira (9), à Rádio Capital, Mendes afirmou que essas empresas não são necessárias para o Estado. “Não vou ficar enrolando igual o [ex-governador] Pedro Taques que ficou um ano e meio falando que ia mandar a reforma administrativa e não mandou. Amanhã já vai a reforma para a Assembleia Legislativa. De 24 nós estamos reduzindo para 15 secretarias. Estou pedindo autorização para extinguir seis empresas públicas. Precisamos economizar, não tem mais jeito. O Estado não pode ser esse gigante. São empresas que nós julgamos não serem necessárias", disse Mendes.

"O Estado tem que fazer aquilo que é necessário, que é importante. O Estado grande demais fica descontrolado e aí fica acontecendo essas maluquices, como na Empaer, salários astronômicos, muito acima da realidade do mercado”, acrescentou.

Ao se referir a Empaer, Mendes fala sobre ganhos salariais de alguns funcionários do qual considera exorbitante. O governador citou, por exemplo, que há motorista na empresa ganhando R$ 13 mil ao mês. “O cidadão tem que entender que quem paga a conta somos todos nós cidadãos, que para manter esse estado de coisas que está aí, daqui a pouco vamos ter que chegar para o cidadão e dizer: O ICMS da energia que é de 40% não está dando mais não, vou ter que subir para 80%. O cidadão não aguenta mais aumento de impostos. Então, essas medidas são para defender o bolso do cidadão para não ter que ficar fazendo mais aumento de carga tributária e fazer sobrar dinheiro para investir naquilo que importa para o cidadão, que é segurança, a educação”, pontuou.

A reunião aconteceu a portas fechadas. Na chegada ao Paiaguás, o presidente da Assembleia Eduardo Botelho (DEM) se mostrou favorável aos projetos. "Ele [Mendes] apresentou superficialmente, mas preciso destrinchar, mas sou a favor da unificação do Fethab, das reformas. Sou a favor", afirmou o deputado estadual.

Grupo de notícia Estado



Video publicitário

VIDEOS

Clima | Tempo

Jornal Impresso