Cel/Whats: (66) 9 9687-7993 | (66) 9 9619-3966

E-mail: redacao@mtnews.jor.br | facebook.com/mtnews



Um dia de cão em Suzano

13/03/2019

Dois rapazes promovem chacina em escola na cidade de Suzano, matam 08 pessoas e deixam vários feridos e se matam

Dois rapazes de 17 e 25 anos, entraram na Escola Estadual Raul Brasil, na cidade de Suzano, armados com um revólver calibre 38 e várias armas brancas e mataram 10 pessoas e ferindo outras 21 pessoas no meio da manhã, desta quarta-feira, dia 13 de março.

Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, identificados pela polícia como os atiradores, se mataram logo após terem deixado um rastro de oito mortos: o dono de uma locadora de veículos onde roubaram o carro usado no crime, cinco estudantes e duas funcionárias da escola.

Com os assassinos, foram encontrados, além do revólver, arco e fecha, garrafas de coquetel molotov – tipo de arma química incendiária – e machadinhos. O crime aconteceu durante o intervalo entre aulas na escola. Segundo o governo de São Paulo, há ainda nove feridos, que foram levados a três unidades de saúde.

Ao menos um dos dois atiradores estudou na unidade em Suzano, na região metropolitana de São Paulo, afirmaram estudantes do colégio.

Segundo relatou um grupo de estudantes em frente ao local, um dos rapazes – Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos – ameaçou seus colegas há três dias, em um shopping, e os avisou para “ficarem espertos”. Segundo esse mesmo jovem, que pulou o muro e fugiu no momento dos tiros, o atirador não sofria bullying e publicava fotos com armas nas redes sociais. Em um de seus perfis, o atirador se identificava como “Guilherme Alan” e postou uma foto com máscara e arma antes do ataque.

Em entrevista, o avô de Guilherme afirmou que o adolescente sempre morou com ele e com sua avó – que faleceu recentemente – por não ter contato com os pais, que eram dependentes químicos. Segundo ele, Guilherme trabalhou na concessionária de Jorge, seu tio, que foi atingido por um disparo feito pelo próprio Guilherme e foi demitido do estabelecimento há dois anos.

O outro atirador, que também cometeu suicídio, é Luiz Henrique de Castro, de 25 anos. Segundo Fabrício Tsutsui, advogado da família de Luiz, todos estão em choque com o ocorrido. “A família é formada por idosos e estão todos perplexos”, afirmou Tsutsui. Castro era auxiliar de jardinagem e saiu normalmente para trabalhar nesta manhã. Ele morava com os pais e os avós e não dava qualquer indício de que poderia cometer esse crime.

O massacre ocorreu pouco após as 10h, quando os dois atiradores abriram fogo dentro da escola. Ao todo, oito pessoas foram mortas, sendo seis alunos e duas funcionárias. Os dois autores se suicidaram em seguida. Segundo o governo de São Paulo, 23 pessoas ficaram feridas e foram atendidas em seis unidades de saúde.

O secretário de Segurança Pública de São Paulo, João Camilo Pires de Campos, divulgou o nome das 8 vítimas, assim como dos 2 jovens que cometeram o atentado.

A 1ª pessoa a ser morta foi Jorge Antônio Moraes, dono de uma locadora de carros perto da escola. Ele seria tio de Guilherme Taucci. Segundo Campos, no atentado à escola foram mortos 5 alunos, de 15 a 17 anos, estudantes de ensino médio: - Pablo Henrique Rodrigues; - Cleiton Antonio Ribeiro; - Caio Oliveira; - Samuel Meoquíades Silva de Oliveira; - Douglas Murilo Selestino. Além dos estudantes, foram assassinadas: - Marilena Vieira Umezo e - Eliana Regina de Oliveira Xavier, funcionárias da escola. A função delas não foi informada.

Os feridos são: Adna Isabella Bezerra de Paula, 16 anos, estudante Anderson Carrilho de Brito, 15 anos, estudante Beatriz Gonçalves Fernandes, 15 anos, estudante Guilherme Ramos do Amaral, 14 anos, estudante Jenifer Silva Cavalcanti José Vitor Ramos Lemos, estudante Leonardo Martinez Santos Leonardo Vinicius Santa Rosa, 20 anos Leticia de Melo Nunes Murilo Gomes Louro Benite, 15 anos, estudante Samuel Silva Felix

O veículo utilizado por Luiz Henrique de Castro e Guilherme Taucci Monteiro antes do massacre na escola estadual Raul Brasil, em Suzano (SP), foi alugado em nome do jovem de 25 anos, no último dia 21 de fevereiro.

O Chevrolet Onix 2018/2019, de cor branca, é de propriedade da Localiza Hertz, empresa especializada em aluguéis de veículos. A companhia confirmou a informação em nota oficial. Guilherme Taucci Monteiro e Luiz Henrique de Castro utilizaram das comunidades mais extremistas do Brasil para pedir dicas e reunir informações para o ataque. Em um fórum chamado Dogolochan, os jovens agradeceram a ajuda e deixaram rastros de que o massacre estava por vir.

O citado fórum é conhecido como um local onde são discutidos abertamente a prática de crimes, violação de direitos humanos, além de racismo e misoginia. Em entrevista, uma das funcionárias disse que, na hora do tiroteio, ela e mais duas merendeiras colocaram os alunos dentro da cozinha e fizeram uma barricada. O objetivo era impedir a aproximação dos atiradores.

O coronel Marcelo Salles afirmou que, antes de entrar na escola, os criminosos passaram por uma loja de automóveis próximo ao colégio. O proprietário do estabelecimento, chamado Jorge Antonio de Moraes, foi baleado por Guilherme, que era seu sobrinho, e morreu. Moraes levou três tiros – um deles no peito.

"Policiais estavam indo para esse primeiro chamado e ouviram gritos das crianças. Foram, então, até a escola, onde os dois criminosos acabaram se matando", disse a capitão Cibele, da comunicação da PM.

Novas informações a qualquer momento.

Grupo de notícia Nacional



Video publicitário

VIDEOS

Clima | Tempo

Jornal Impresso